George Whitehill Chamberlain

George Whitehill Chamberlain foi um missionário norte-americano, pioneiro na implantação do Presbiterianismo no Brasil.

O Rev. Chamberlain nasceu em Waterford, Pensilvânia, no dia 13 de agosto de 1839.

Formou-se no Seminário Teológico Union, em Nova York (1857-1859), onde trabalhou como professor.

Mudou-se para o Brasil por recomendação médica, chegando ao Rio de Janeiro em 21 de julho de 1862. Trouxe uma carta de recomendação para o reverendo Alexander Latimer Blackford, que já trabalhava como missionário no Brasil.

Esteve em São Paulo e no Rio Grande do Sul, visitando os campos missionários da Igreja Presbiteriana e trabalhando como professor de inglês.

Voltou ao Rio de Janeiro, em 23 de maio de 1864, para auxiliar o reverendo Ashbel Green Simonton no ministério junto à Igreja Presbiteriana do Rio de Janeiro.

Foi ordenado pastor pelo Presbitério Rio de Janeiro, em 8 de julho de 1866.

Veio para São Paulo em 1867, tornando-se o segundo pastor da Igreja Presbiteriana de São Paulo, que é hoje a Catedral Evangélica de São Paulo, em substituição ao Rev. Alexander Latimer Blackford. Ali exerceu o pastorado por vinte anos: 1867 a 1887.

Em 1870, iniciou, em São Paulo, junto com sua esposa Mary Chamberlain, as aulas da Escola Americana, o embrião daquilo que viria a se tornar a Universidade Mackenzie.

Faleceu em 1902, em Salvador, vítima de câncer.

Transcrito e adaptado de:

http://pt.wikipedia.org/wiki/George_Whitehill_Chamberlain

Compare-se o artigo “George Chamberlain: 100 Anos de Sua Morte”, do Rev. Alderi de Souza Matos, em:

http://www.mackenzie.br/fileadmin/Editora/Revista_Mackenzie/pdfs/m20/mack_23_25.pdf

Veja-se também “Os Pioneiros Presbiterianos do Mackenzie, do Rev. Alderi de Souza Matos, em:

http://www.mackenzie.com.br/10248.html

Transcrito em 23 de Fevereiro de 2014

Alexander Latimer Blackford

O Rev. Alexander Latimer Blackford foi um missionário norte-americano pioneiro na implantação do Presbiterianismo no Brasil. Foi o missionário que organizou a igreja que é hoje a Catedral Evangélica de São Paulo, na capital paulista, em 5 de Março de 1865. Foi também seu primeiro pastor.

Nasceu em 9 de janeiro de 1829, em Martins Ferry, Ohio, filho de pais cristãos piedosos. Formou-se em teologia pelo Western Theological Seminary em 1859, sendo ordenado ministro presbiteriano em 20 de abril do mesmo ano.

Blackford decidiu servir como missionário no Brasil, trabalhando como auxiliar de outro jovem pastor, o Rev. Ashbel Green Simonton.

Chegou ao Brasil com sua esposa (Elizabeth Blackford, irmã de Simonton) em 25 de julho de 1860.

Nos primeiros anos, auxiliou Simonton na direção da Igreja Presbiteriana do Rio de Janeiro, além de viajar por São Paulo e Minas Gerais pregando o evangelho segundo a tradição reformada.

Em 5 de março de 1865, organizou a Igreja Presbiteriana de São Paulo, sendo o seu primeiro pastor.

Ainda neste período de implantação presbiteriana em território brasileiro, Blackford organizou a Igreja Presbiteriana de Brotas, em 13 de novembro de 1865, tornando-se a terceira Igreja Presbiteriana no Brasil.

Agora, com três igrejas, juntou-se a Simonton e ao Rev. George Chamberlain para organizar o Presbitério Rio de Janeiro, em 16 de dezembro daquele ano, sendo eleito o seu primeiro moderador.

A história de Blackford confunde-se com a do presbiterianismo brasileiro.

Organizou várias outras igrejas nos anos seguintes, foi o editor do jornal Imprensa Evangélica (primeiro periódico protestante da América Latina) e professor do “Seminário Primitivo” (primeiro seminário protestante da América Latina) entre os anos de 1867 e 1870.

Em 1875, foi ameaçado com base na Constituição do Brasil (que dizia ser o catolicismo a religião oficial); um dos seus crimes foi entregar “santos” para as crianças brincarem de boneca.

A partir de 1880, Blackford fixou residência em Salvador, Bahia, trabalhando na implantação do presbiterianismo naquela região. Isto não o impediu de continuar ativo na vida conciliar da Igreja, sendo eleito o primeiro moderador do Sínodo do Brasil, organizado em setembro de 1888 (tornando, assim, a Igreja brasileira autônoma em relação à norte-americana).

Em 10 de maio de 1890, enquanto gozava de férias com sua família em Atlanta, foi acometido de uma grave doença, vindo a falecer apenas quatro dias depois, em 14 de maio.

“As atas da missão dizem que, pouco antes de morrer, o Rev. Blackford cantou ‘hinos na língua dos brasileiros, o povo que ele amou entranhadamente, louvando seu Rei e Pai, a quem servira com firmeza e constância’.” (Matos, A. S., p. 37).

Transcrito e adaptado de:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Alexander_Latimer_Blackford

Transcrito em 23 de Fevereiro de 2014

Ashbel Green Simonton

Ashbel Green Simonton (1833-1867), o fundador da Igreja Presbiteriana no Brasil, nasceu em West Hanover, no sul da Pensilvânia, e passou a infância na fazenda da família, denominada Antigua. Eram seus pais o médico e político William Simonton e D. Martha Davis Snodgrass (1791-1862), filha de um pastor presbiteriano. Ashbel era o mais novo de nove irmãos. Os irmãos homens (William, John, James, Thomas e Ashbel) costumavam denominar-se os “quinque fratres” (cinco irmãos). Um deles, James Snodgrass Simonton, quatro anos mais velho que Ashbel, viveu por três anos no Brasil e foi professor na cidade de Vassouras, no Rio de Janeiro. Uma das quatro irmãs, Elizabeth Wiggins Simonton (1822-1879), conhecida como Lille, veio a casar-se com o Rev. Alexander Latimer Blackford, vindo com ele para o Brasil.

Transcrito de:

http://www.ipb.org.br/sobre-a-ipb

Veja também “Simonton e Seus Companheiros”, do Rev. Alderi Souza de Matos, em:

http://www.mackenzie.com.br/7145.html

Transcrito em 23 de Fevereiro de 2014

O Presbiterianismo no Brasil: 1859

O surgimento do presbiterianismo no Brasil resultou do pioneirismo e desprendimento do Rev. Ashbel Green Simonton (1833-1867). Nascido em West Hanover, na Pensilvânia, Simonton estudou no Colégio de Nova Jersey e inicialmente pensou em ser professor ou advogado. Influenciado por um reavivamento em 1855, fez a sua profissão de fé e, pouco depois, ingressou no Seminário de Princeton. Um sermão pregado por seu professor, o famoso teólogo Charles Hodge, levou-o a considerar o trabalho missionário no estrangeiro. Três anos depois, candidatou-se perante a Junta de Missões da Igreja Presbiteriana dos Estados Unidos, citando o Brasil como campo de sua preferência. Dois meses após a sua ordenação, embarcou para o Brasil, chegando ao Rio de Janeiro em 12 de agosto de 1859, aos 26 anos de idade.

Transcrito de:

http://www.ipb.org.br/sobre-a-ipb/

Transcrito em 23 de Fevereiro de 2014

Pastores da Catedral Evangélica

A Catedral Evangélica de São Paulo teve treze pastores nesses quase 150 anos de vida, a saber:

De 1865 a 1867 – Rev. Alexander Latimer Blackford
De 1867 a 1887 – Rev. George Whitehill Chamberlain
De 1887 a 1888 – Rev. Modesto Perestrello Barros de Carvalhosa
De 1888 a 1923 – Rev. Eduardo Carlos Pereira
De 1923 a 1924 – Rev. José Maurício Higgins
De 1925 a 1931 – Rev. Otoniel Mota
De 1931 a 1933 – Rev. Isaac Gonçalves do Valle
De 1933 a 1958 – Rev. Jorge Bertolaso Stella
De 1959 a 1962 – Rev. Aretino Pereira de Matos
De 1963 a 1971 – Rev. Daily Rezende França
De 1971 a 1973 – Rev. Sérgio Paulo Freddi
De 1973 a 2009 – Rev. Abival Pires da Silveira [Pastorado mais longo até aqui: 37 anos]
De 2010 ao presente – Rev. Valdinei Aparecido Ferreira

Transcrito de:

http://www.catedralonline.com.br/150-anos/historia-da-ipib [esta página aparentemente foi retirada do ar desde a criação desta página].

Transcrito em 23 de Fevereiro de 2014 / Modificado em  2 de Setembro de 2019

História da Catedral Evangélica

A Primeira Igreja Presbiteriana de São Paulo – hoje Primeira Igreja Presbiteriana Independente de São Paulo – foi organizada em 5 de março de 1865. Enquanto dava seus primeiros passos, grandes fatos históricos aconteciam no Brasil: a abolição da escravatura, a proclamação da República, a chegada em massa dos imigrantes europeus. Em meados do século 19, São Paulo era uma aldeia rústica com 20 mil habitantes; em 1900, a cidade tinha 240 mil habitantes, e surgiam as primeiras grandes indústrias brasileiras, no ramo das tecelagens.

Foi neste cenário que chegaram ao Brasil os missionários norte-americanos Rev. Ashbel Green Simonton, seu cunhado Rev. Alexander L. Blackford – fundador da Primeira Igreja Presbiteriana de São Paulo e da Igreja de Brotas -, Rev. Francis J. C. Schneider e Rev. George W. Chamberlain.

Em setembro de 1888 foi organizado o Sínodo da Igreja Presbiteriana do Brasil, que se tornou assim autônoma, desligando-se das igrejas-mães norte-americanas. O Sínodo compunha-se de três presbitérios (Rio de Janeiro, Campinas-Oeste de Minas e Pernambuco) e tinha 20 missionários, 12 pastores nacionais e cerca de 60 igrejas. O primeiro moderador foi o Rev. Blackford. O Sínodo criou o Seminário Presbiteriano, elegeu seus dois primeiros professores e dividiu o Presbitério de Campinas e Oeste de Minas em dois: São Paulo e Minas.

A Primeira Igreja foi o berço da Universidade Mackenzie, da Associação Cristã de Moços (ACM), do Hospital Samaritano, da Associação Evangélica Beneficente (AEB), do Seminário Teológico de São Paulo e da Igreja Presbiteriana Independente do Brasil, criada em 31 de julho de 1903 sob a liderança do Rev. Eduardo Carlos Pereira.

Com quase 150 anos de história, a Primeira Igreja Presbiteriana de São Paulo foi atuante na implantação e na consolidação das igrejas de Brotas, Borda da Mata, Bragança, Sorocaba, Lorena e Campinas, todas no interior do Estado de São Paulo. Foi a principal mantenedora das Missões Nacionais auxiliando, missionariamente, as Igrejas de Faxina, Cabo Verde, Fortaleza e Espírito Santo do Pinhal. E, em São Paulo, a Segunda Igreja e a Igreja Filadelfia, hoje Igreja Unida da Rua Helvetia. Gerou e canalizou recursos substanciais para a construção do primeiro Seminário à Rua Maranhão em Higienópolis; do Hospital Samaritano e mais tarde do Seminário Independente da Rua Visconde de Ouro Preto na Consolação.

Transcrito de:

http://www.catedralonline.com.br/150-anos/historia-da-ipib [Aparentemente essa página foi retirada depois da criação desta página.]

Transcrito em 23 de Fevereiro de 2014 / Modificado em 2 de Setembro de 2019